carregando...

Notícias

Notícias de Pequim

20.04.2015

the-5th-beijing-international-film-festival poster goldposter com site


Desde o último dia 17, está acontecendo a quinta edição do Beijing International FIlm Festival e o Fernando Meirelles está por lá, fazendo parte do juri do festival.


Abaixo, seguem algumas notas que ele nos enviou direto de Pequim, falando sobre o evento, o mercado cinematográfico e a relação Brasil-China:


Como parte do juri do Festival Internacional de Cinema de Pequim, mando aqui algumas notas sobre o evento:


– O presidente do juri é o Luc Besson, fazem parte também seu roteirista Robert Kamen,(“Karate Kid” entre muitos outros) a atriz Zhou Xun de “Balzac e a Pequena Costureirinha Chinesa”, um diretor russo, um de Hong Kong e o sensacional coreano, Kim Ki Duc.


– A abertura do festival deve ter custado mais caro do que custará a abertura olímpica no Rio de Janeiro com balés voadores, palco inteiro de led e infindáveis convidados incluindo Arnold Shwarzenegger que veio anunciar as filmagens de “Terminator 5” aqui na China.


– Daren Aronovksy  também subiu no palco para ser aplaudido. Encontro-o sempre pelo hotel, perguntei se seu filme Noé estava sendo exibido aqui mas ele disse que o filme está proibido na China. Nem ele sabe porque o trouxeram mas está gostando do passeio. Fizemos um selfie e mandamos  para a Rachel Weisz, ex-mulher dele.


– A nova onda dos  estúdios americanos é vir filmar aqui ou usar elementos da China em suas produções. Fazendo isso podem driblar uma regra do mercado que limita a 20 o número de lançamentos estrangeiros no país por ano.


– Luc Besson e seu roteirista estão no juri não por acaso. Também estão interessados neste mercado e começam a rodar um longa na China em maio.


– Jean-Jaques Annaud  tem um filme na seleção oficial chamado Wolf Totem, produção chinesa rodada na Mongólia. Mais um que está de olho no bilhão de espectadores aqui.


– Ciente deste interesse chinês por co-produções, a área de cultura da embaixada brasileira preparou um acordo de co-produção Brasil-China. Está pronto, os chineses querem assinar mas, segundo eles, está parado na Ancine esperando um retorno. Para nós seria interessante o acordo, espero que o Manoel Rangel, da Ancine,  arrume um tempo para ler isso.


– Ontem de manhã o Kim Ki Duc fez uma massagem nas minhas duas mãos que me fez transpirar no ato. Ele lembra um monge feliz e parece saber o que está fazendo, também como terapeuta.


– A seleção do festival é irregular mas pelo que investiram, vê-se que querem muito acertar.


Fernando Meirelles